Memórias de Jaguariúna

Memórias de Jaguariúna: Grupo Já comemora 23 anos de história, amor e dedicação ao teatro

por Gislaine Mathias em 18/12/2020 Peça Protótipos Crônicos reúne vários prêmios O Grupo Já de Teatro nasceu da Oficina de Linguagem Clown (palhaço), ministrada por Sérgio Khair, tendo como primeiro espetáculo O Papa-Defunto, em 10 de dezembro de 1997, no Centro Cultural.
 
Nessa época, foi encenada a cena O Papa-Defunto, com o elenco formado por Luciano Durante, Marcelo Masselani, Luis Marquesini, Guilherme Infante e Paulo Rech. Anos mais tarde, essa cena se tornaria um dos espetáculos mais importantes do grupo.
 
Entre as peças encenadas na primeira fase do grupo estão A Carta, A Noiva do Condutor, No Smoking, dentre outras.
 
É uma época em que as apresentações das peças aconteciam no salão do Centro Cultural, onde hoje está o CIT, pois não havia espaço apropriado para essa modalidade.

A partir de 2006 criou-se um núcleo de pesquisa que deu origem ao espetáculo Protótipos Crônicos, que trouxe para o grupo a maioria dos prêmios.
O núcleo também estreou Valsa Maria ao Ermo. Em 2009, a esquete clown Angumercinda, de Marcelo Masselani destacou-se no Festival de Cenas Cômicas de Resende, com os prêmios de Melhor Ator, Melhor Direção e Melhor Esquete.
O Papa-Defunto faz parte da história de fundação do grupo Nessa época também foi criado um núcleo para iniciantes Daqui a Pouco, coordenado por Priscila Murias e Cassio Abreu, que resultou nos espetáculos Risos de Natal e Romeus e Julietas. 
 
No período de 2010 a 2012, encenou peças no projeto Teatro nos Bairros. Entre as produções desse período estão Quem Matou Valentina Valentaine?, Taras, livremente inspirado na obra de Nelson Rodrigues e Vô Romeu e Vó Julieta.

Em 2013, o grupo realiza pesquisa sobre a história de Jaguariúna para a montagem de Histórias de Nossa Terra. Participou na coordenação e direção da Paixão de Cristo, nos anos de 2014 e 2015.
Histórias de Nossa Terra contou detalhes da origem de Jaguariúna
Também encenou o infantil A Cigarra, a Formiga e a tal Joaninha, que representou Jaguariúna no Mapa Cultural levando a menção honrosa por dramaturgia.

O grupo Já também recebeu a menção por manter um espaço cultural. E continua mantendo viva a arte do teatro na cidade.
Comédia Angumercinda se destacou com vários prêmios
Espaço para teatro
 
Com o passar do tempo, no ano de 2008, a cidade ganhava o seu primeiro espaço estruturado para a encenação de espetáculos, exposições, apresentações de música, e outras atividades.
 
O local, no passado, era o antigo Cine Santa Maria, que foi fundado pelo padre Gomes. O Teatro Municipal de Jaguariúna, que tem o nome de Dona Zenaide, desde então, vem sediando desde peças do circuito nacional de espetáculos até produções locais.
 
O grupo Já permanece construindo a história do teatro de Jaguariúna, sendo o mais antigo em atividade na cidade.
Primeira formação do grupo Já com a peça O Papa-Defunto
 
Compartilhe:
Comente: