Estrela da Mogiana

Notícias > Estrela em Destaque

Diogo Hannibal aposta no esporte, supera dificuldades e disputa Europeu em Portugal

por Gislaine Mathias em 18/01/2018 arquivo sem legenda ou nomeO atleta Diogo Felipe, conhecido como Diogo Hannibal, viajou para Lisboa, Portugal, para disputar o Campeonato Europeu de Jui-Jitsu, que acontece de 18 a 21 deste mês.  
 
Natural de Campinas e atualmente morando em Jaguariúna, Diogo embarcou para Lisboa na semana passada, onde tentará o pódio na competição que reúne os principais nomes do Jiu-Jitsu Mundial.
 
O atleta superou duas lesões seguidas no ano passado e antes de embarcar para Portugal conversou com a reportagem do site Estrela da Mogiana para contar detalhes da sua carreira esportiva.
 
Estrela da Mogiana – Comente detalhes da sua história ligada ao Jiu-Jitsu?
Diogo Hannibal – Eu comecei praticar artes marciais com 11 anos de idade e no meio da minha adolescência eu descobri o jiu-jitsu e venho praticando até hoje, porém, lutei MMA e no início o meu jiu-jitsu foi sempre voltado para essa modalidade, mas há um ano e meio venho focando só no jiu-jitsu, pois já tenho alguns títulos, então, venho me dedicando para conseguir outros pódios.  
 
Estrela da Mogiana – Quais foram as suas principais conquistas na sua carreira esportiva?
Diogo Hannibal – Em 2013, eu fui campeão mundial sem quimono; ano passado fui campeão brasileiro e vice-campeão Paulista. Fiz muitas lutas de MMA e ganhei finalizando todas. Fui vice-campeão Pan-Americano e disputei diversos torneios regionais. 
 
Estrela da Mogiana – Conte como é o dia a dia do seu treinamento?
Diogo Hannibal – É bem corrido, pois tenho que ir para Campinas todos os dias para treinar. Também treinei com o Cristiano na Conexão. É muito corrido e a gente acaba gastando muito dinheiro e tempo, mas está valendo a pena.
 
Estrela da Mogiana – Qual a contribuição do jiu-jitsu na sua vida?
Diogo Hannibal –Eu sou uma pessoa muito hiperativa e eu era uma criança agressiva, e o esporte me ajudou nesse fator, e hoje controlo minhas emoções e os ânimos porque percebi que não precisava daquilo. E fiquei mais calmo e paciente, e desta maneira venho conseguindo trazer títulos para casa.
 
Estrela da Mogiana Qual a expectativa para esse ano?
Diogo Hannibal – É o terceiro ano seguido que eu tento ir para Portugal, então, é um sonho. Estou muito motivado para conseguir um bom resultado. Pra mim é o maior campeonato que já disputei e estou ansioso.
Esse campeonato é muito importante porque reúne os melhores atletas do mundo.
 
Estrela da Mogiana – Porque resolveu apostar no jiu-jitsu?
Diogo Hannibal –Eu fiz várias artes marciais, porém foi o jiu-jitsu que me trouxe calma, me faz pensar, relaxar e concentrar.
 
Estrela da Mogiana – Como foi o início da carreira e para ser um atleta de destaque o que é fundamental?
Diogo Hannibal – Quando pensei em ser um atleta eu sai de casa com 16 anos. Voltei depois de um ano e minha mãe me expulsou de casa, dizendo ou você vai lutar e ser vagabundo ou vai trabalhar. E aí cheguei morar em academia, e a partir de então, fico focado 100% nesse esporte.  Acredito que por causa da determinação consegui alcançar os meus objetivos. Eu não sou uma pessoa talentosa, mas eu treino tanto que acaba fluindo os bons resultados.
 
Estrela da Mogiana – Você acaba sendo um exemplo para os outros atletas. Qual a importância da persistência?
Diogo Hannibal – Hoje minha família inteira me admira e respeita meu esporte. Eu acho que independente de treinar, estudar ou ingressar no trabalho, é preciso focar 100%, pois assim, vai conseguir o seu objetivo. A gente só tem uma vida e uma única chance, então, não pode gastar o tempo com o que não gosta de fazer.
 
Estrela da Mogiana – A maior dificuldade ainda é a falta de incentivo para a prática do esporte?
Diogo Hannibal – O investimento no esporte no Brasil é muito pouco. Atleta olímpico passa fome e imagina o jiu-jitsu que não é um esporte olímpico. Lutadores de MMA estão lutando de graça enquanto lá fora esse atleta ganha muito bem. A crise do país acaba refletindo nessa situação, mas o povo brasileiro ainda não sabe respeitar um atleta. Apesar do Brasil ser um seleiro de ótimos atletas, é tão difícil seguir nesse caminho, pois muitas vezes tem duas opções: sai do país ou acaba desistindo do esporte.

Muitas crianças tem potencial e não conseguem seguir o sonho, pois falta um simples incentivo. Se eu não fosse para o caminho do esporte ou iria pelo caminho errado, pois era a única opção na favela onde eu morava, virava traficante ou atleta. 
 
 
Compartilhe:
Comente: