Estrela da Mogiana

Notícias > Cultura

Sede da Fazenda da Barra tem cômodos recriados com mobiliário dos séculos 19 e 20

por Gislaine Mathias/Estrela da Mogiana em 06/04/2021 Alcova, um espaço que deve chamar a atenção e que foi recriado Um trabalho de ambientação dos espaços internos da casa sede da Fazenda da Barra vem sendo realizado pela Secretaria de Turismo e Cultura e faz parte de mais uma etapa de preparação do local para se tornar um polo cultural, histórico e turístico de Jaguariúna.
 
O professor de artes plásticas da Escola das Artes, pesquisador e curador voluntário do acervo, Fabiano Rizzoni, vem sendo responsável pelo estudo do mobiliário e pela identificação das épocas, nos cômodos do casarão. Ele conta que o convite para desenvolver esse trabalho foi da secretária Maria das Graças Hansen Albaran dos Santos.
 
“Fiz uma pesquisa com os descendentes do Barão de Guedes e com pessoas que já moraram na fazenda. Também peguei fotos do mobiliário original que está na família como ideia e para ter uma fidelidade, e mesmo não sendo móveis originais da fazenda as doações mantêm o estilo daquela época”, explica Fabiano.  
 
Os móveis foram doados pela Fazenda Florianópolis e por outras propriedades. Após catalogação, Fabiano verificou as condições de preservação dos móveis para saber aqueles que precisavam de um simples restauro ou de um trabalho maior de revitalização, além disso, realizou várias pesquisas, entre elas, sobre os materiais utilizados no acabamento dessas peças.  
 
Para recriar os ambientes, ele ainda pesquisou outros detalhes, inclusive, sobre a disposição dos móveis nos cômodos, que se destacam por vários períodos, desde a segunda metade do século 19, ou seja, época dos Barões até a primeira metade do século 20.
Espaços são recriados com móveis dos séculos 19 e 20 
“São móveis bonitos que possuem uma história e estão ambientados numa casa histórica importante para Jaguariúna e para o Brasil, então, quando o espaço estiver pronto e o País longe da pandemia, valerá a pena realizar uma visita nesse local”, comenta Fabiano. Ele conta que além dos móveis antigos, existem outros tipos de peças distribuídas no local, como, pilão, coleção de arte cabocla de barro, cadeiras rústicas e fogão a lenha. Também haverá uma galeria de fotos antigas.
 
Revolução de 32
 
No cômodo onde existe um escrito na parede que marca a passagem de soldados na fazenda, no tempo da Revolução de 32, está sendo preparado um espaço de exposição sobre o tema. “Me conectei com historiadores nessa área para ambientar esse período, pois acho importante conhecer como a fazenda entrou nesse cenário histórico da revolução".
 
Ele ressalta que a Fazenda da Barra é um local riquíssimo de história e tem uma importância vital porque se transformará num grande polo turístico pelo seu valor histórico. “É uma fazenda de importância nacional”, complementa.
 
Alcova
 
Durante as pesquisas sobre a fazenda, ele destaca a alcova, que fez questão de recriar esse ambiente por ser muito interessante, pois era usada para receber os comerciantes que vinham oferecer produtos para os barões do café, e ficavam nesse quarto sem janelas. “É importante contar essa história e recriar esse ambiente”, enfatiza.
 
Ligação familiar
 
“A minha história está muito ligada à fazenda e descobri isso a pouco tempo. Já conhecia a fazenda, pois estou morando há 16 anos na cidade, apesar da minha família ser de Jaguariúna, e realizei um trabalho de decoração de Natal com material reciclável, em 2019 nesse local. Eu gostava muito da fazenda, me sentia familiarizado com o local e achei fantástica toda a riqueza arquitetônica e artística da fazenda, mas ainda não entendia esse vínculo”, relata Fabiano.
 Fabiano tem uma ligação familiar com a história da fazenda
Ele explica que durante o trabalho histórico e de pesquisa, ele descobriu que a sua família veio da Itália para trabalhar na Barra e conseguiu a documentação do seu tataravô, que chegou em 1889, com a família inteira, inclusive com o seu bisavô, com 15 anos na época. “Foi uma surpresa pra mim, pois passados 130 anos, fui realizar um trabalho na fazenda, que tem ligação com a minha família”, relata.
 
Ele acredita que é uma missão. “Sempre tive a ideia de oferecer à população um pouco sobre história da fazenda, mas depois que eu descobri a minha ligação se tornou um sentimento mais profundo e hoje tem uma conotação sentimental, de estar mostrando as nossas raízes. É uma forma de resgatar essa memória das famílias”, explica.  
 
Live
 
E nesta terça-feira, 6, tem live sobre a Fazenda da Barra de Jaguariúna, com a participação especial da Secretária Maria das Graças, a partir das 19h, com transmissão ao vivo na página da Escola das Artes no Facebook e no canal do YouTube.
 
Compartilhe:
Comente: